sábado, maio 26, 2007

O rigor que este governo quer para a educação

A notícia chegou-me de fonte segura e foi confirmada por outros colegas. Na semana que está a terminar realizaram-se as provas de aferição de conhecimentos de Português e de Matemática dos 4º e 6º anos. Uma professora do 4º ano que conheço foi convocada para corrigir as provas de Português e esteve presente na reunião de uniformização de critérios correcção. Recebeu instruções do Ministério da Educação (ou da DREL) para, ao corrigir os testes, não penalizar os alunos por erros de ortografia nem por erros de construção de frase nem por qualquer outra falta na expressão escrita. Apenas na composição (que correspondia a um quinto da prova) os erros da escrita seriam descontados na cotação da prova. Nas perguntas dos restantes 4/5 do teste, “o que importava era o conteúdo”.
Lindo! E o governo diz que quer rigor e que quer fazer uma avaliação sério do trabalho e da eficiência dos portugueses. Começa bem, fazendo da avaliação do 1º ciclo uma PALHAÇADA. Os docentes do 1º ciclo a levar a sério e profissionalmente o seu trabalho, e o Ministério a dar indicações de que, no fundo, o ensino e a sua avaliação são para levar a brincar. E o governo a dizer que quer competência e trabalho; e que quer instaurar uma meritocracia em Portugal. Quanta incoerência! Quanta hipocrisia!
Mais uma notinha. Na dita de reunião de uniformização de critérios de correcção, que decorreu numa escola pública “cujo nome não quero recordar”, o Presidente do Conselho Executivo ameaçou a minha colega e outras professoras, que mostraram intenção de abandonar a reunião em protesto, com um processo disciplinar se saíssem da sala. Quando elas lhe explicaram que não o podia fazer porque eram professoras de um colégio privado, o prepotente Presidente respondeu: Mas eu tenho bons conhecimentos nesse colégio… (Não está ipsis verbis, mas andará lá perto.) É assim que está o nosso socrático país: o autoritarismo e a perseguição salazaristas a voltar à função pública e as saudades (e fantasmas) do regime a ressuscitarem. O doce sabor da ditadura ficou nos lábios de muita gente; e basta um aroma apetecível para esses o quererem provar outra vez. Muita coisa começa a apodrecer no Reino da Lusitânia. E acho que, com este governo, vão apodrecer mais.

Fiquei agora com um receio: será que a senhora Ministra me vai processar disciplinarmente ou exonerar por eu ter dito que o Ministério da Educação fez da avaliação do 1º ciclo uma palhaçada?

4 Comments:

Blogger Woman Once a Bird said...

Depende. Só se tiver um colega consciencioso a denunciar.

12:35 da manhã  
Blogger edelweiss said...

Deixa lá os meninos darem erros, ainda há esperança para eles: tu também davas erros quando andavas na escola e hoje estás curado!

7:39 da tarde  
Blogger pingo de chá said...

Qualquer dia estamos a ler livros às escondidas como fazia o meu pai na altura do regime salazarista...

10:19 da manhã  
Blogger Raimundo_LULIO said...

Olha que a Ministra manda-te para a Caralonina Micaelis

10:56 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home