sexta-feira, junho 16, 2006

György Ligeti (1923-2006)

Recebo com atraso a notícia da morte do compositor György Ligeti. Morreu dia 12 deste mês. Ligeti ficou famoso pelas suas composições para os filmes de Kubrik. Mas as peças de que mais gosto são outras. Esta noite vou ouvir a sua ópera Le Grand Macabre, que, mesmo assim, não está entre as suas obras que mais me arrebatam. A sonoridade desta ópera é "ligeticamente" desconcertante e provocatoriamente anti-melódica. (Não tenho conhecimentos musicais para a definir melhor.) O enredo é uma excelente alegoria sobre o poder.

4 Comments:

Anonymous Flor dos Alpes said...

Sr Alexandre, pela descrição já percebi que deve ser um aborrecimento do tamanho do mundo. E o que é o homem tem na boca, não tem dentes?

12:49 da tarde  
Blogger Xor Z said...

Não sei porquê mas sinto um impulso para concordar consigo, cara flor alpina. Embora confesse que não conheço a música do homem.

2:55 da tarde  
Blogger A. said...

Não sabia...conheço.
e só posso dizer
...mais um grande compositor
que se perde.

8:34 da tarde  
Anonymous Joaninha said...

Ligeti fica inevitavelmente associado aos magistrais filmes de Stanley Kubrick. Em 2001, Odisseia no Espaço, Ligeti compôs sonoridades tão enigmáticas, estranhas e belas como o proprio monolito.

10:31 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home