quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Sua Excelência, o Sr. Ministro do trabalho e da Solidariedade Social perdeu o sentido da realidade



Sua Excelência, o Sr. Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Sr. Vieira da Silva, afirmou nos órgãos de comunicação social, nomeadamente, na televisão, que, até ao fim da legislatura, criaria 150 mil empregos, tal como o Partido Socialista e o Engenheiro José Sócrates tinham prometido, antes das ultimas eleições legislativas. Ora, já passaram dois anos, e este governo não criou um único emprego, antes pelo contrário, milhares de trabalhadores perderam o seu emprego, para já não referir outros tantos milhares de jovens, que, durante estes dois longuíssimos anos, não conseguiram entrar no mercado de trabalho.
Ao afirmar a criação, nestes dois próximos anos, de 150 mil empregos, o Sr. Ministro Vieira da Silva revela ultrapassar o mais elementar bom senso e, como tal, não deverá tratar-se, certamente, de um exercício de demagogia, a que este governo já nos habitou.
Ao contrário do seu antecessor Dr. Bagão Félix, o homem de fé, pio e crente em Deus e em milagres, o Sr. Ministro Vieira da Silva, ao que consta, é pouco dado a questões de fé e de milagres e, portanto, não deverá tratar-se, certamente, da crença num poder transcendente e criador de 150 mil empregos, em apenas dois anos, com uma previsível taxa de crescimento inferior a média europeia.
Ora, não sendo um acto de demagogia nem um acto de fé, a afirmação de Sua Excelência, o Sr. Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Sr. Vieira da Silva, só pode revelar a total perda de sentido da realidade devido ao desespero, numa espécie de fuga em frente. Sua Excelência, o Sr. Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Sr. Vieira da Silva, começou a criar um mundo que existe apenas na sua cabeça. O seu comparsa do governo o Sr. Ministro da Saúde, a quem os minhotos já chamam Ministro da Morte, pelos vistos, pouco ou nada, lhe poderá valer.
O estado a que chegou Sua Excelência, o Sr. Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, é preocupante, mas tudo isto não seria grave se o nosso futuro e o futuro das nossas reformas não dependessem dele.

2 Comments:

Blogger cinderela-dos-pes-grandes said...

Caro Raimundo Lúlio
Não há realmente como dar o benefício da dúvida a esta gente. Continuam a fazer da lógica uma BATATA, qualquer que seja o domínio abordado. A sua excelente análise realça bem esse predicado do actual governo...

8:43 da tarde  
Blogger Xor Z said...

É a comédia do governo que se vai tornando em tragédia para o cidadão comum.
Os meus embora para si. O que tem feito? Não o tenho visto. Dê sinal de si.

11:38 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home