segunda-feira, março 03, 2008

"Eiras, 3 de Março de 1968"

«(...) num largo de paz provinciana, onde o Espírito Santo tem morada e o povo castamente se diverte. (...) O pote a voar de mão em mão, a finta súbita, a hesitação prevista, o estampanço da vasilha e o explosivo gáudio colectivo. Esqueço instintivamente todos os monstruosos Vietnames do mundo, e alargo à humanidade inteira esta fraternidadae sadia e convivente.


O homem não pode continuar no caminho que leva, de tristeza, agrassividadae e morte. Há-de por força voltar a trás, e começar de novo a viver alegremente a vida. É a partir do quadro que tenho diante dos olhos que se me antecipa o futuro, pacífico e feliz no terreiro do universo, a estoirar panelas de barro em vez de bombas atómicas. »

Miguel Torga, Diário, vol. X.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home