segunda-feira, julho 21, 2008

"Coimbra, 21 de Julho de 1952"

« (…) Um escritor, por modesto que seja, necessita de assentar cada pedra com a probidade, a humildade e a esperança de quem vai enfrentar a erosão dos séculos. Por isso, o seu ouvido deve estar mais atento ao silêncio do futuro do que às palmas do presente. »

Miguel Torga, Diário, vol. VI.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home