quarta-feira, setembro 10, 2008

Assi se habla en España



O chistoso soneto do poeta barroco espanhol Lope de Vega brinca com a mudança de estilo e linguagem que, em pouco tempo, se operou na literatura espanhola: a clareza de linguagem do estilo renascentista deu origem ao estilo rebuscado e enredado da literatura barroca. No soneto, os dois representantes máximos da poesia do Renascimento espanhol (Garcilaso de la Vega e Juan Boscán) mostram-se surpreendidíssimos quando encontram uma estalajadeira que, seguindo a nova moda literária, já se exprime segundo o melhor estilo barroco.



Boscán, tarde chegamos. – Há pousada?
- Chama aí da posta, Garcilaso.
- Quem é? – Dois cavaleiros do Parnaso.
- Não há onde nocturnar palestra armada.

- Não entendo o que diz esta criada.
Madona, que dizeis? – Que afectem passo,
que obstenta limbos o fingido caso
e o sol depinge a porção rosada.

- Estás em ti, mulher – Negou-se ao tino
o hópede ambulante –. Que em tão pouco
tempo tal língua entre cristãos caia!

Boscán, perdemos ambos o caminho,
Perguntai por Castela, que estou louco,
Ou não saímos ainda da Biscaia.


(A tradução do poema é de José Bento; o retrato, de Lope de Vega.)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home