quinta-feira, junho 22, 2006

O paradoxo da cultura

As estruturas dominantes e conservadoras de uma sociedade interessam-se pela cultura apenas como forma de auto-promoção social e de consolidação institucional de uma tradição. (É inevitavelmente um abordagem que esvazia a dimensão humana e problematizadora que a cultura encerra.) Por outro lado, as forças dominantes actuam de forma a negar ao indivíduo (sobretudo no seu papel de trabalhador e de cidadão) a possibilidade de se realizar humanamente pela cultura e a paralizar o seu processo criativo.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home