sábado, janeiro 26, 2008

Robert Southey


Robert Southey (1774-1843) foi um polígrafo romântico inglês: poeta, historiador, articulista, biógrafo, etc. Ao longo da sua vida, visitou duas vezes Portugal: em 1795 e em 1800-1801. Das duas estadias resultaram cartas e diários de viagem com observações sobre os costumes dos portugueses, a situação política e social do reino, a cultura e a história lusitana. Em Inglaterra, Southey continuou a cultivar o seu interesse por Portugal e pelo Brasil. Publicou uma monumental História do Brasil e embarcou no projecto de escrever uma História de Portugal, que não concluiu. No post que se segue, apresento uma tradução de uma nota sobre a língua portuguesa. À luz dos conceitos e teorias linguísticas dos nossos dias, as afirmações de Southey estão pejadas de noções erradas, imprecisões e são marcadas pela falta de cientifismo. Pouco importa para este contexto. O excerto foi retirado de Southey's Common-place book, uma colectânea de notas e apontamentos compilada pelo genro, John W. Warter. O excerto vale pela elegância do estilo, pela subtileza e o humor das observações, pela forma como o inglês vê o Outro e por outros aspectos.

Indicação bibliográfica do texto que se encontra no post seguinte:
Southey, Robert, Southey's Common-place book. Second series. Special collections, vol. II, ed. John W. Warter, 2ª ed., Londres, Longman, Brown, Green, and Longmans, 1850, pp. 257-8 [ed. Original de 1849].

1 Comments:

Blogger Pedro Isidoro said...

Seria bem interessante termos aqui mais notícias de estrangeiros sobre nós, em particular dos britânicos, que, sobre serem finos observadores, eu reputo terem com a nossa cultura portuguesa uma singular relação, que vai muito mais além no tempo do que o século XII do cruzado Osborne/Osberno. E ninguém melhor que o Alexandre, provedor e provador-mor deste Tonel, para nos dar mais notícias sobre isso. Esta sobre Southey é um saboroso aperitivo.

12:03 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home