segunda-feira, março 26, 2007

Honestidade e Tótózismo

Catalisado por um post da senhora flor dos alpes que, a respeito dum questionário acerca de ser honesto, reflectia, com bastante a propósito, que havia uma grande diferença entre ser honesto e ser totó, decidi fazer algumas considerações acerca deste assunto.
Do ponto de vista do fenómeno puro podemos dizer que o cúmulo da tótózice é dizer ao nosso (a) melhor amigo (a) que fomos para a cama com a (o) namorada (o) dele (a) – para os mais materialistas, um caso análogo seria encontrar um bilhete premiado da lotaria no meio do chão e pôr um anúncio no jornal à procura do seu verdadeiro proprietário (para os restantes casos análogos peço ao leitor que envide esforços através da sua capacidade imaginativa). Entre esta categoria e a honestidade pura e simples deparam-se-nos toda uma plêiade de graus.
Um deles é dizer a uma nossa amiga, que nos conta toda contente que acabou de fazer um novo penteado porque estava farta do seu antigo visual, que achamos horrorosa esta sua nova faceta. No mesmo sentido, tecer considerações sobre namoradas (os) dos (as) nossos (as) melhores amigos (as) comporta sempre um risco desnecessário. Se a cachopa (o) não presta, de alguma forma o próprio chegará a essa conclusão, senão chegar é fugir como o diabo da cruz de lho dizer. Pode parecer que é um gesto de amizade, mas é tótózismo no seu quase mais puro estado.
Já, pelo contrário, mudar pequenos defeitos dos nossos amigos ou íntimos, desde que lhe não digamos à puridade que não os suportamos mais, têm toda a legitimidade e serve-nos, ainda, para poder atestar que usamos de toda a franqueza porque pensamos existir entre nós uma sólida amizade que resiste com facilidade a estas pequenas questiúnculas. Além de se ser honesto ainda se fica bem visto, é o chamado dois em um.
Entre estes dois extremos deixo ao cuidado do leitor, que sei que é inteligente e bem formado, a liberdade para decidir.

7 Comments:

Blogger edelweiss said...

Xor Z, o homem que cumpre o que promete! Fantástico, como sempre. Quer saber qual é o cúmulo do Tótózismo? Então vá espreitar o post que escrevi sobre uma história verídica.

8:22 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Aproveito a embalagem do 'plug' acima, para apontar outro exemplo de Totózismo, que é o de alimentar um blog que ninguém lê:

http://www.bloglines.com/blog/glossolalia

Miguel A.

12:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E já que falei de blogs, dois outros exemplos curiosos, para ilustração do interessados:

Geoffrey Chaucer Hath a Blog
[http://houseoffame.blogspot.com/]

Taberna da Resistência
[http://tabernadaresistencia.blogspot.com/]

Miguel A.

1:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Hoje estou imparável! :o)

Um artigo que certamente vai interessar os comparatistas no meio de nós:

Dead Plagiarists Society
[http://www.slate.com/id/2153313/]

Boa leitura!

Miguel A.

1:37 da tarde  
Blogger Raimundo_LULIO said...

Caro Miguel A.

Ao contrário de XOR Z, penso que ser Tótó não é um defeito é uma virtude.

" resistir só faz sentido conjugado na primeira pessoa..."
Na verdade, é o que fazemos nesta barrica, resitir.

8:16 da tarde  
Anonymous Xor Z said...

Caro Raimundo
Ser tótó é uma virtude? Pode trocar-me isso por miúdos, ficava-lhe agradecido.

9:38 da tarde  
Blogger João Filipe Rodrigues said...

Exmo. Sr. Miguel A.,

Agradeço desde já a sua tão ilustre visita pela Taberna. É gratificante ter um blog que é visitado, que é lido, que é comentado. Fico ainda mais satisfeito pelo facto de fazer publicidade à minha Taberna.

Saudações!

E já agora, porque não é demais:
Taberna da Resistência
[http://tabernadaresistencia.blogspot.com/]

6:38 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home