quinta-feira, agosto 03, 2006

Por um jornalismo das GRANDES causas


O The Independent continua a sua linha editorial de defesa das causas humanitárias. Não se trata, neste caso, de um jornalismo de esquerda (embora para os cínicos da Realpolitik e para os indiferentes defender a vida humana, o tratamento justo dos indivíduos ou o respeito pelos outros se enquadre na agenda da esquerda). Na verdade, o jornal promove as causas transversais a todo o espectro ideológico da sociedade (ainda que uns as encarem apenas do ponto de vista teórico ou utópico) - refiro-me àquelas questões que estão, no dizer the Anthony Giddens, Para além da esquerda e da direita (a defesa dos direitos humanos, da igualdade racial e de género, etc.). Trata-se de um jornalismo de intervenção que rompe com as linhas editoriais da indiferença, da promoção de clientelas ou dos interesses ideológicos do Estado.
Só não percebo, nesta primeira página, o anúncio a uma marca alemã de velas de motor de automóvel e de limpa pára-brisas... Piada aparte, agrada-me também a ideia de o jornal pretender aguçar o interesse dos seus leitores pelo saber e pela arte e distribuir reproduções de pinturas do património artístico da humanidade.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Enquanto desiludido do métier, acho que o mal é já não haver jornalismo que nos valha, na barragem discursiva desta sociedade do espectáculo.

O Independent faz figura, satisfaz a nossa boa consciência, deixa-nos dormir descansados. Enquanto isso, nos três minutos que demorou a redação deste post, morreram milhares de crianças por causas perfeitamente evitáveis...

Para quem quer fazer realmente a diferença:

www.pobrezazero.org

www.makepovertyhistory.org

www.whiteband.org


Miguel A.

5:30 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home