terça-feira, março 31, 2009

HOPE



Há pessoas normais bastante saudáveis para, com um choque, não derribarem mas se porem em movimento, aprenderem a andar direito. E então tornam-se excêntricas.

( Outras, que já o são, e tanto que parece o foram sempre desde o choque do parto de partida, não deixam de orbitar o que mais importa e, aproximadas ao Centro, quase não se mexem… Como o nosso Pessoa. )

Às vezes, pode-se medir a força do choque pela extensão da trajectória que são convidadas a percorrer. Julian Amery é um excêntrico inglês que foi longe. Atravessou a Europa, a Ásia menor e central, entrou pela Mongólia na China, foi ao Tibete, desceu à Índia, veio a parar numa praia a sul de Goa. Foi aqui que encontrou um excêntrico português – Paulo Varela Gomes. O nosso ouviu do inglês o que todos podemos ver pintado nas laterais da velha Mercedes: - “I’ll live in hope”.

Amery quis partilhar connosco da viagem, e não precisou de mais que as imagens deste que é um dos mais belos álbuns de fotografias que podemos encontrar na net: http://powblam.blogspot.com/
Mete-se pelos olhos que a trajectória dele, por desventura lançada pelo desespero, por ventura alcançou o Sentido certo do que uma boa esperança sempre alcança.

Paulo Varela Gomes tem partilhado connosco, todas as quartas-feiras no jornal Público, as suas “Cartas de Cá”: - de lá da velha Índia que foi portuguesa, trazem-nos o aroma especial de quem alcançou mais preciosas especiarias que as procuradas pelos nossos avós além do cabo da Boa Esperança. Assim vai ele cumprindo por lá o Sentido certo duma trajectória, colectiva também. As suas Cartas são amarras sólidas, bem precisas a quem quiser singrar seguro ao cabo do tormentoso e sombrio… nosso “mundo de cá”.




1 Comments:

Blogger Julian said...

Hola Pedro!

please get in touch:

julian_amery@msn.com

Thanks

Julian

2:13 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home